projetos

PROJETO INOVAFRUTI

Intituições participantes: Fundagres, Incaper, SEAG e Fapes
 

Socioambiental do Espírito Santo (Fundagres Inovar) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), com a Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (SEAG) e com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). As atividades previstas são voltadas à ampliação da oferta de frutas de qualidade, com destaque para o maracujá, através do fortalecimento e da estruturação das cadeias produtivas da fruticultura nos municípios de Conceição da Barra, Jaguaré, Pedro Canário, São Mateus e Sooretama. Isso acontece por meio da qualificação de profissionais que atuem como facilitadores da adoção de práticas e técnicas inovadoras e sustentáveis por agricultores familiares, comunidades e povos tradicionais e suas organizações e, em escala menor, por médios produtores e empreendedores rurais.

Assistir à live de lançamento do projeto.

 
Stand de feira com legumes de agricultura familiar

PROJETO CAMPO LIVRE

Intituições participantes: Fundagres
 

A plataforma Campo Livre, desenvolvida por iniciativa da Fundação de Desenvolvimento e Inovação Agro Socioambiental do Espírito Santo (Fundagres Inovar), funciona como um classificado digital criado para aproximar produtores do estado do Espírito Santo com consumidores.

 

O resultado é a modernização e a valorização do trabalho de produtores, especialmente neste momento de crise sanitária.

Acesse a plataforma aqui.

PROJETO CINTURÃO VERDE

Intituições participantes: Fundagres, ArcelorMital e Incaper

A redução da emissão de pó de carvão e de pó de minério é um importante desafio para áreas onde ocorre a estocagem e movimentação destes elementos. O cultivo de espécies florestais no entorno como quebra-ventos tem se apresentado como alternativa para redução da velocidade de arraste dos materiais particulados dos pátios de estocagem. Este projeto tem como objetivo o estudo da composição de modelos arbóreos baseado nos diferentes portes das espécies.

O projeto foi composto de dois ensaios, o primeiro com 10 tratamentos e o segundo com 20 tratamentos, sendo cada tratamento uma combinação diferente de espécies de porte alto, médio e baixo. No total serão usadas 13 espécies, onde, 8 são espécies de porte alto, 4 são espécies de porte médio e 1 espécie de porte baixo.

AVALIAÇÃO DE DIFERENTES TÉCNICAS DE RESTAURAÇÃO DA COBERTURA AGROFLORESTAL NA RECUPERAÇÃO DE NASCENTES NA BACIA DO RIO SANTA MARIA DA VITÓRIA


Instituições Executoras: Fundagres, Arcelor e Incaper
Instituições Parceiras: Prefeitura de Santa Leopoldina, Comitê Bacias Hidrográficas Rio Santa Maria da Vitória, Ministério Público do Espírito Santo, IDAF e Governo do Estado do Espírito Santo.


A metodologia a ser utilizada será composta por 5 (cinco) diferentes tipos de restaurações (Cercamento da Nascente sem plantio, Enriquecimento da área com espécies da mata atlântica, Plantio total da área da nascente com sementes da mata atlântica, Técnicas nucleadoras para regeneração e Plantio total de mudas nativas da Mata Atlântica)  que são recomendadas para diferentes áreas e condições específicas e são influenciadas pela presença de fragmentos florestais, estágio de degradação do solo, presença de animais, presença de espécies regenerantes, condições climáticas, declividade, tipo de solo, práticas agrícolas, manejo e conservação do solo, aptidão e objetivo da restauração.


Serão implantadas 5 áreas experimentais para a obtenção de dados nas diferentes áreas/metodologias de regeneração e subsidiar a recomendação das práticas e manejo aplicados. A partir das análises comparativas dos resultados, será possível recomendar a melhor técnica de restauração para as diferentes realidades observadas na bacia do Rio Santa Maria da Vitória.